O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Tudo que seja relacionado com Projectos



Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » domingo dez 14, 2008 11:34 pm

os que venderam o meu também me disseram o mesmo até que lhes demonstrei o contrário. penso que seja medo de que se tiveres algum problema os responsabilizes ou, que o painel solar não aqueça água para todos os fins pretendidos. há alturas em que obviamente não, mas porque havemos de desperdiçar aquelas em que o painel suporta isso e muito mais?

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências


Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » quarta dez 17, 2008 11:52 pm

tive hoje mais uma reunião com o fornecedor e o montador do campo fotovoltaico depois de ter havido uma acção conjugada junto da certiel e da edp. está-se em condições de elaborar o projecto de execução definitivo.
tudo isto para que não se verifique mais uma reprovação por parte nomeadamente da certiel, da instalação eléctrica de ligação à resp (consta que a percentagem nessas condições tem sido elevada). no fundo andam todos a aprender, o que sendo bom provoca transtorno a quem normalmente menos culpa tem. o investidor.
porque estou bem dentro do assunto sabia desde o início que o meu sería um daqueles casos que tería de ser muito bem exposto tanto junto da certiel como da edp para se encontrar uma solução adequada.
a razão prende-se com o facto de a resp (rede eléctrica de serviço público) se encontrar montada na fachada da minha vivenda que por ter um pequeno jardim á frente coloca a referida rede dentro da minha propriedade. ora como a lei que regula a microgeração impõem, e bem, que a contagem se situe no limite da propriedade com acesso pela via pública, toda a rede sai do meu edifício, vai ao limite da propriedade e regressa ao edifício de onde partiu.
a agravar a situação, a referida rede é aérea em cabo torçado que não pode ser enterrado. apenas é aceite que seja embebido no muro devidamente protegido por tubo adequado. de referir que a vivenda faz parte de um conjunto de edifícios em banda.
é uma situação fora do usual em que a resp se encontra no exterior da propriedade.

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » domingo jan 25, 2009 3:05 pm

parece mentira mas já lá vai mais de um mês desde a minha última "postura". entretanto o que foi feito e o que falta fazer?
está em execução, neste momento em fase avançada, a passagem para o exterior das contagens de energia eléctrica o que, como referi não iria ser fácil por exigir dois muretes. um para a portinhola e outro para a contagem dupla. por haver tempo em relação à montagem do campo solar, e porque nestas montagens a empresa que se encarrega do campo solar evita os trabalhos de construção civil por ser mais econômico para todos que o proprietário arranje quem o faça, tenho-o feito por minha conta.
entretanto os painéis devem chegar amanhã (dia 26) a portugal e a sua montagem será iniciada de imediato.
se assim for antes do fim do mês estará tudo executado e durante o mês de fevereiro entrará em produção. não contava levar tanto tempo mas... foi assim!
continuarei a dar informações á medida que forem surgindo e que espero em ritmo muito mais frequente para os próximos tempos.

soube que a mariap tem o seu campo montado e anda agora de volta do contrato com a edp, desejo-lhe muita sorte e que a sua eperiência seja vertida nas páginas do forum pois serão sempre úteis.
bons kwh solares mariap

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » sábado fev 07, 2009 7:34 pm

mariap

como te disse eu liguei a alimentação da máquina de lavar loiça directamente à canalização de água quente sanitária.
a minha idéia é que a água quente do painel solar não estará mais quente, ou pelo menos muito mais quente que os 65º c a que a mesma funciona pelo que não há qualquer inconveniente.

quanto ao montador comportou-se como no meu caso. hoje reconhecem que é possívelmas, não se comprometem. quem fez a ligação fui eu.

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » sábado fev 07, 2009 7:51 pm

boas novas.

ao fim de tanto tempo a chover houve finalmente uma "aberta" de dois dias e hoje mudaram-me o painel de aqs por forma a libertar espaço para o fotovoltaico. o equipamento fotovoltaico já está armazenado á espera de condições de montagem pelo que com o que hoje foi feito está dado mais um passo.
outro foi dado com o pedido à edp de intervenção na rede para deslocação da contagem de energia para o exterior. as obras de construção do murete foi da minha responsabilidade em conjunto com o empreiteiro a quem adjudiquei a montagem do campo fotovoltaico, e a nova baixada é feita a expensas da edp pela passagem da contagem para a via pública.
como a metorologia prevê dias de sol para meados da próxima semana espero que as coisas se conjuguem de forma a começar a produzir no fim deste mês. oxalá... oxalá

por tudo isto espero em breve voltar a intervir neste fórum e ... palpita-me que a nossa companheira de caminhada mariap já esteja a produzir em pleno. mas, o seu a seu dono aguardo que ela nos confirme, ou não, este palpite. podemos ? boa sorte mariap.

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » sábado fev 14, 2009 11:06 pm

ontem sexta-feira 13 ficou montada a central fotovoltaica.
não se pode dizer que tivesse sido uma montagem rápida pois o tempo chuvoso e/ou instável durante cerca de 2 meses fez com que os montadores não se atrevessem a trabalhar em cima do telhado.
gostei muito do profissionalismo da empresa montadora que inclusivé foi apoiada por 3 técnicos espanhóis sendo 2 montadores e 1 do fabricante.
material de 1ª. perfis da estrutura de suporte, em alumínio, e parafusos de fixação tudo em inox e com porcas fusíveis como segurança contra roubos e garantia de aperto adequado. os parafusos próximos das telhas dotados com ponteiras de borracha, e que me tenha apercebido não houve nenhuma telha partida. 5 *. depois ilustrarei com fotos.
também os painéis (de concepção alemã) têm um aspecto óptimo e estão cotados por revista internacional da especialidade como os 2º melhores do mundo. aguardo a entrega do processo para colocar mais alguns elementos.

agora há que acabar alguns trabalhos menores enquanto não é feita a vistoria pela certiel e o contrato com a edp.

como disse espero consegui-lo até ao fim do mês.

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » quinta fev 19, 2009 2:24 pm

apenas no fim da tarde de ontem, 18 de fevereiro, (5 dias após a montagem) consegui pedir a inspecção à certiel. o site da renovaveisnahora não tem a ajuda necessária e tem coisas absurdas. por ex. numa página pedem-me 2 elementos, preenchendo os dois campos entro em consultas em vez do pretendido. contactada a certiel, via telefone, sou informado de que apenas deveria preencher um dos campos para conseguir o pretendido. . não será fácil colocar lá um "ou"?
bom mas passada esta página vem o formulário para preenchimento dos elementos necessários. e aí mais um contratempo, o inversor sunny boy 3800 limitado à potência de 3680w não consta da lista de equipamentos disponíveis. novo telefonema à certiel e, ao fim de algum tempo de troca de impressões em que a certa altura me é dito que o mesmo não pode ser aplicado, (já estava) o meu interlocutor, com atitude pro-activa pede-me o meu contacto dizendo-me que vai contactar com a dge e ainda nesse mesmo dia me dará a resposta e... cumpriu e resolveu o problema. são assim os procedimentos correctos! o meu reconhecimento e agradecimento.
continuando com o preenchimento dos elementos pedidos vou descobrindo que é ao submeter o pedido que me vai indicando os erros existentes. e o último é para mim risível, não só tenho que indicar a marca e modelo do contador a montar (seleccionado entre 4 opções possíveis) mas também o seu número, o que com a carência daqueles aparelhos no mercado obrigaria a uma de duas acções:
- fazer uma consulta ao mercado antes de preencher o formulário, ou,
- preencher com o do primeiro fornecedor que me dê um nº.
foi o que fiz e terei de esperar cerca de 10 dias para ter cá o contador.
pergunto-me, "porquê?". porque precisa a certiel de saber qual é, desde já, exactamente a individualidade do contador?

começo a perceber porque há fornecedores de equipamentos de microgeração que tomam conta do processo desde o inicio.
só quem já passou por este processo se move com à vontade neste esquema.
aconselho vivamente a quem se meter num processo destes a assegurar-se que a empresa a quem adjudicam o fornecimento, trata de tudo.
eu tenho conhecimentos e, experiência na área, e...tempo. quem não estiver nessas condições não se arrisque!

resta-me agora aguardar pelo que virá a seguir. edp? contador? certiel? seria bom que a sequência fosse essa mas, será?

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » sábado fev 21, 2009 2:24 pm

cá estou de novo. as novidades sucedem-se (não sem tempo!).
hoje recebi um sms da certiel marcando a inspecção para dia 04 de março ( 14 dias após o pedido), limito-me a constatar. podería ser menos? admito que sim, mas há que lembrar que pelo meio fica o carnaval e uma grande "ponte", por outro lado estou á nora com coisas tão comesinhas como a aquisição do contador (quem diria? estamos em crise e é de fabrico nacional!). aceito por isso sem grande constrangimento a data como razoável.
continúo a fazer votos para que, a ordem seja a que referi anteriormente, ou seja, que o contador chegue e a edp transfira a baixada antes desse dia.
senão... espero poder pedir um curto adiamento que não me agradaria.
aguardemos

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » sexta mar 20, 2009 9:39 pm

parece mentira mas já lá vai um mês sobre a minha última intervenção.
depois dela aconteceu a esperada vistoria. foram encontradas algumas pequenas não-conformidades e indicado, porque a ordem que referi acima não correu pelo melhor, uma vez que a nova baixada a partir da resp ainda não estava feita. a questão é que por um lado a certiel foi indagada concretamente sobre este ponto e afirmou não ser importante. por outro, a minha experiência sobre o assunto é a de que a certiel não tem nada a ver com a parte da edp. muitos foram os prédios aprovados por aquela entidade que não tinham as infraestruturas eléctricas acabadas.
no dia em que comunicaram a reprovação pedi de imediato a re-inspecção. no dia em que indicaram o código para pagamento da taxa respectiva, paguei de imediato. mesmo assim só terei nova inspecção no próximo dia 26.
dia e meio após a vistoria as pequenas não-conformidades estavam todas resolvidas, mas o intervalo entre as duas vistorias é de mais de um mês. estritamente legal, mas, inaceitável. o investimento foi feito mas a produção ainda não... inaceitável.
estou a ponderar o que farei.

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências


Valter Silva
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 404
Registado: segunda ago 11, 2008 12:05 pm
Localização: Curia - Anadia - Bairrada!
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por Valter Silva » sábado mar 21, 2009 12:43 am

ajosemor Escreveu:parece mentira mas já lá vai um mês sobre a minha última intervenção.
depois dela aconteceu a esperada vistoria. foram encontradas algumas pequenas não-conformidades e indicado, porque a ordem que referi acima não correu pelo melhor, uma vez que a nova baixada a partir da resp ainda não estava feita. a questão é que por um lado a certiel foi indagada concretamente sobre este ponto e afirmou não ser importante. por outro, a minha experiência sobre o assunto é a de que a certiel não tem nada a ver com a parte da edp. muitos foram os prédios aprovados por aquela entidade que não tinham as infraestruturas eléctricas acabadas.
no dia em que comunicaram a reprovação pedi de imediato a re-inspecção. no dia em que indicaram o código para pagamento da taxa respectiva, paguei de imediato. mesmo assim só terei nova inspecção no próximo dia 26.
dia e meio após a vistoria as pequenas não-conformidades estavam todas resolvidas, mas o intervalo entre as duas vistorias é de mais de um mês. estritamente legal, mas, inaceitável. o investimento foi feito mas a produção ainda não... inaceitável.
estou a ponderar o que farei.

saudações
ola,


de momento a minha microgeração está a ser montada (tópico ao lado deste;) ), e claro que saber com o que se pode contar é bom.
assim, pedia-lhe se aprofundava 2 temas:
quais as não conformidades?
qual o problema da baixada?



obrigado
Tell me and I forgot, show me and I remember, involve me and I understand. Provérbio chinês
Yaris 1.4 D4D 75HP
Imagem

Avatar do Utilizador

uggabugga
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 612
Registado: sexta mar 20, 2009 11:09 pm
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por uggabugga » sábado mar 21, 2009 11:16 am

bom dia.
depois de bastante tempo no papel de observador/leitor sinto-me na obrigação de também partilhar qualquer coisa
também pertenço ao grupo dos registados no dia 2 de outubro e devo confessar que se nessa altura alguém se atrevesse a alvitrar que no dia de hoje ainda não estaria a produzir electricidade, o mínimo que poderia pensar é que ele estava completamente maluco.
mas a realidade é mesmo essa: tenho-me deparado com coisas a que não sei se chame atrasos, se obstáculos, se tentativas de boicote. os problemas com a edp começaram logo de início para fazer a ligação do cabo à rede, mas vou ignorar essa parte.
para abreviar, e saltando o que não interessa, foi-me finalmente feita a inspecção pela certiel no dia 10 de fevereiro.
pelos relatos que tenho lido pareceu-me sensato admitir, então, que cerca de 10 dias depois teria iniciado a produção. de qualquer modo voltei a ler mais uma vez a legislação em vigor para me sentir mais seguro. confirmei que a certiel tinha 5 dias para avisar a edp que o sistema estava aprovado e que a edp por sua vez tinha mais 5 dias, no máximo, para me enviar o contrato para assinar.
esperei cerca de duas semanas e como nada me chegou pelo correio resolvi fazer uns telefonemas. inicialmente a edp "não sabia de nada". de seguida liguei para a certiel e informaram-me que a edp tinha sido avisada no dia 11 de fevereiro (no dia imediatamente a seguir à inspecção). voltei a ligar para a edp dizendo-lhes que tinha a informação de que formam avisados no dia 11 e de que, legalmente, tinham um prazo máximo de 5 dias para me enviarem o contrato. nessa altura após algum tempo de "deliberação", chegaram à conclusão do outro lado da linha que o contrato me tinha sido enviado no dia 19 (não sei porquê mas nunca acreditei nesta versão - e eu até nem sou desconfiado!!). argumentaram que entre a certiel enviar e chegar lá, etc, etc... - talvez por isso o dia 19 fosse o dia ideal para me "venderem" como data de envio, considerando essa demora mais os 5 dias legais.
só que, por acaso quando liguei para a certiel tive o cuidado de perguntar como é feita a informação à edp e foi-me dito que é por e-mail. assim sendo, no dia 11 já a edp estava informada. mas também não me ia chatear por terem ultrapassado em 2 dias do prazo máximo legal. o problema é que esperei mais uns dias e não chegou nada.
eu compreendo perfeitamente que uma carta se pode perder, mas gostava de fazer aqui um paralelismo se me é permitido:
sou assinante de uma revista semanal há cerca de 7 anos. nunca se perdeu nenhuma. sou assinante da revista proteste há mais do que isso. nunca se perdeu nenhuma. (estou a dar estes exemplos pois sendo o envelope enviado pela edp tamanho a4, são os mais parecidos. mas as que a edp me envia mensalmente com a factura para pagar, embora mais pequenas, também nunca se perdem e chegam com uma pontualidade impressionante). e o estranho é que pelos vistos também não voltou para trás, que é o que acontece normalmente...
depois de novo telefonema alguns dias depois foi-me dito que se não chegasse "entretanto" me enviariam segunda via. fiquei a aguardar enquanto decorria o "entretanto". quando achei que o "entretanto" já tinha passado telefonei novamente. ficou então combinado que me enviariam uma segunda via.
este telefonema foi numa terça-feira. quarta, quinta e sexta esperei pacientemente pelo carteiro na esperança de que chegasse o famigerado contrato.
sexta-feira recebi novo telefonema a "confirmar" que iriam enviar a "segunda via". vou-me dispensar de dizer o que senti nessa altura!!!
finalmente na quarta-feira seguinte chegou. se era uma segunda via, não se notava nada: a data da assinatura do contrato era de 6 de março. se calhar sou eu que tenho que rever/actualizar o meu conceito de "segunda via" pois estava convencido que era uma cópia da "primeira".
no mesmo dia assinei e devolvi em carta registada para não me serem imputados atrasos no processo. se as coisas correram normalmente por volta de sexta-feira (dia 13 de março) a edp deve tê-la recebido. atendendo ao desenrolar anormal (quero acreditar que este não é o sistema normal) de todo o processo seria de esperar alguma brevidade na "colocação do cartão". no entanto não me parece haver mesmo assim qualquer vontade de que isso venha a acontecer antes do limite do prazo máximo legal (os tais 10 dias úteis a partir da recepção do contrato por parte da edp) pelo que (e aqui também foi preciso telefonar mais duas vezes antes de me dizerem alguma coisa) "só têm disponibilidade para fazer a ligação" na sexta-feira dia 27.
curioso não terem nenhum dia disponível antes disso mas nesse dia ter tido oportunidade de escolher se queria de manhã ou de tarde, e depois de ter escolhido o período da tarde me darem ainda hipótese de escolher o período horário. como já referi que não sou desconfiado, não acredito que seja por esse ser o 10º dia útil. acredito sim que está tudo completamente cheio e todo o pessoal ocupado até quinta e, por coincidência, a partir de sexta tudo livre durante todo o dia.
já agora, para os menos informados e que ainda poderão passar por esta fase, gostaria de esclarecer que, embora no
decreto-lei esteja previsto que depois de assinarmos o contrato e o devolvermos à edp registamos esse facto no "site" (o que permitiria que a certiel informasse imediatamente a edp da assinatura), isso não está a funcionar assim. o facto de a página da certiel não reflectir o que está previsto no decreto permite mais alguns atrasos por parte da edp pois nunca podemos saber quando o contrato lá é recebido. se quando há vontade isto não é grave quando não há...
neste momento tenho "qualquer coisa" em cima do telhado que devia estar ligado há mais de um mês. pelo que tenho visto aqui ao lado poderia ter produzido qualquer coisa como 20 kw diários, atendendo ao excelente tempo que tivemos. já estamos a falar de mais de 400€. sempre pensei que a parte complicada era abrir as valas, enterrar os tubos, partir o muro, meter as caixas, montar a estrutura... mas afinal não é assim. difícil, difícil, é mesmo colocar o cartão no contador...
alguma coisa não tem estado a correr bem. não sei de quem é a culpa, mas sei de quem não é. não compreendo as motivações que estão por trás disto nem sei quem lucra com esta situação. mas quem é prejudicado, sei perfeitamente.
já contactei o instalador que, para não haver motivos para algo correr mal, vai ter que se deslocar de mais de 200 km para estar presente na altura de "encaixar o cartão", não vá ele não querer entrar...
agora, "a cereja em cima do bolo" era mesmo não aparecer ninguém da edp no dia combinado. mas como nem sou desconfiado...


Valter Silva
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 404
Registado: segunda ago 11, 2008 12:05 pm
Localização: Curia - Anadia - Bairrada!
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por Valter Silva » sábado mar 21, 2009 12:36 pm

uggabugga Escreveu:bom dia.
depois de bastante tempo no papel de observador/leitor sinto-me na obrigação de também partilhar qualquer coisa
também pertenço ao grupo dos registados no dia 2 de outubro e devo confessar que se nessa altura alguém se atrevesse a alvitrar que no dia de hoje ainda não estaria a produzir electricidade, o mínimo que poderia pensar é que ele estava completamente maluco.
mas a realidade é mesmo essa: tenho-me deparado com coisas a que não sei se chame atrasos, se obstáculos, se tentativas de boicote. os problemas com a edp começaram logo de início para fazer a ligação do cabo à rede, mas vou ignorar essa parte.
para abreviar, e saltando o que não interessa, foi-me finalmente feita a inspecção pela certiel no dia 10 de fevereiro.
pelos relatos que tenho lido pareceu-me sensato admitir, então, que cerca de 10 dias depois teria iniciado a produção. de qualquer modo voltei a ler mais uma vez a legislação em vigor para me sentir mais seguro. confirmei que a certiel tinha 5 dias para avisar a edp que o sistema estava aprovado e que a edp por sua vez tinha mais 5 dias, no máximo, para me enviar o contrato para assinar.
esperei cerca de duas semanas e como nada me chegou pelo correio resolvi fazer uns telefonemas. inicialmente a edp "não sabia de nada". de seguida liguei para a certiel e informaram-me que a edp tinha sido avisada no dia 11 de fevereiro (no dia imediatamente a seguir à inspecção). voltei a ligar para a edp dizendo-lhes que tinha a informação de que formam avisados no dia 11 e de que, legalmente, tinham um prazo máximo de 5 dias para me enviarem o contrato. nessa altura após algum tempo de "deliberação", chegaram à conclusão do outro lado da linha que o contrato me tinha sido enviado no dia 19 (não sei porquê mas nunca acreditei nesta versão - e eu até nem sou desconfiado!!). argumentaram que entre a certiel enviar e chegar lá, etc, etc... - talvez por isso o dia 19 fosse o dia ideal para me "venderem" como data de envio, considerando essa demora mais os 5 dias legais.
só que, por acaso quando liguei para a certiel tive o cuidado de perguntar como é feita a informação à edp e foi-me dito que é por e-mail. assim sendo, no dia 11 já a edp estava informada. mas também não me ia chatear por terem ultrapassado em 2 dias do prazo máximo legal. o problema é que esperei mais uns dias e não chegou nada.
eu compreendo perfeitamente que uma carta se pode perder, mas gostava de fazer aqui um paralelismo se me é permitido:
sou assinante de uma revista semanal há cerca de 7 anos. nunca se perdeu nenhuma. sou assinante da revista proteste há mais do que isso. nunca se perdeu nenhuma. (estou a dar estes exemplos pois sendo o envelope enviado pela edp tamanho a4, são os mais parecidos. mas as que a edp me envia mensalmente com a factura para pagar, embora mais pequenas, também nunca se perdem e chegam com uma pontualidade impressionante). e o estranho é que pelos vistos também não voltou para trás, que é o que acontece normalmente...
depois de novo telefonema alguns dias depois foi-me dito que se não chegasse "entretanto" me enviariam segunda via. fiquei a aguardar enquanto decorria o "entretanto". quando achei que o "entretanto" já tinha passado telefonei novamente. ficou então combinado que me enviariam uma segunda via.
este telefonema foi numa terça-feira. quarta, quinta e sexta esperei pacientemente pelo carteiro na esperança de que chegasse o famigerado contrato.
sexta-feira recebi novo telefonema a "confirmar" que iriam enviar a "segunda via". vou-me dispensar de dizer o que senti nessa altura!!!
finalmente na quarta-feira seguinte chegou. se era uma segunda via, não se notava nada: a data da assinatura do contrato era de 6 de março. se calhar sou eu que tenho que rever/actualizar o meu conceito de "segunda via" pois estava convencido que era uma cópia da "primeira".
no mesmo dia assinei e devolvi em carta registada para não me serem imputados atrasos no processo. se as coisas correram normalmente por volta de sexta-feira (dia 13 de março) a edp deve tê-la recebido. atendendo ao desenrolar anormal (quero acreditar que este não é o sistema normal) de todo o processo seria de esperar alguma brevidade na "colocação do cartão". no entanto não me parece haver mesmo assim qualquer vontade de que isso venha a acontecer antes do limite do prazo máximo legal (os tais 10 dias úteis a partir da recepção do contrato por parte da edp) pelo que (e aqui também foi preciso telefonar mais duas vezes antes de me dizerem alguma coisa) "só têm disponibilidade para fazer a ligação" na sexta-feira dia 27.
curioso não terem nenhum dia disponível antes disso mas nesse dia ter tido oportunidade de escolher se queria de manhã ou de tarde, e depois de ter escolhido o período da tarde me darem ainda hipótese de escolher o período horário. como já referi que não sou desconfiado, não acredito que seja por esse ser o 10º dia útil. acredito sim que está tudo completamente cheio e todo o pessoal ocupado até quinta e, por coincidência, a partir de sexta tudo livre durante todo o dia.
já agora, para os menos informados e que ainda poderão passar por esta fase, gostaria de esclarecer que, embora no
decreto-lei esteja previsto que depois de assinarmos o contrato e o devolvermos à edp registamos esse facto no "site" (o que permitiria que a certiel informasse imediatamente a edp da assinatura), isso não está a funcionar assim. o facto de a página da certiel não reflectir o que está previsto no decreto permite mais alguns atrasos por parte da edp pois nunca podemos saber quando o contrato lá é recebido. se quando há vontade isto não é grave quando não há...
neste momento tenho "qualquer coisa" em cima do telhado que devia estar ligado há mais de um mês. pelo que tenho visto aqui ao lado poderia ter produzido qualquer coisa como 20 kw diários, atendendo ao excelente tempo que tivemos. já estamos a falar de mais de 400€. sempre pensei que a parte complicada era abrir as valas, enterrar os tubos, partir o muro, meter as caixas, montar a estrutura... mas afinal não é assim. difícil, difícil, é mesmo colocar o cartão no contador...
alguma coisa não tem estado a correr bem. não sei de quem é a culpa, mas sei de quem não é. não compreendo as motivações que estão por trás disto nem sei quem lucra com esta situação. mas quem é prejudicado, sei perfeitamente.
já contactei o instalador que, para não haver motivos para algo correr mal, vai ter que se deslocar de mais de 200 km para estar presente na altura de "encaixar o cartão", não vá ele não querer entrar...
agora, "a cereja em cima do bolo" era mesmo não aparecer ninguém da edp no dia combinado. mas como nem sou desconfiado...




possssssssssssaaaaaaaaaaa...... c'um raio !!!

mas há uma que tens a culpa..... escolheste um instalador que tem sede a 200km desculpa a sinceridade, mas num sistema desse tipo foi mal jogado

eu tb tinha um orçamento mais baixo de uma empresa longe... no entanto preferi pagar mais e a empresa ser de perto (claro que pesaram outras coisas, como a qualidade do produto, ter visto instalações feitas, a pessoa da empresa ser de confiança, etc,etc,etc)
Tell me and I forgot, show me and I remember, involve me and I understand. Provérbio chinês
Yaris 1.4 D4D 75HP
Imagem

Avatar do Utilizador

uggabugga
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 612
Registado: sexta mar 20, 2009 11:09 pm
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por uggabugga » sábado mar 21, 2009 1:44 pm

embora o orçamento tivesse sido na altura dos melhores entre as várias dezenas que pedi, estou a começar a chegar à conclusão que, se calhar, nem foi assim tão bom. devo dizer que foi ligeiramente mais caro do que o que te fizeram e a potência instalada é significativamente inferior. para além disso todo o trabalho da abertura da vala e da colocação da portinhola do contador e da caixa de ligação à rede no muro da vivenda foi efectuado por mim.

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » sábado mar 21, 2009 9:40 pm

valter silva disse:
ola,


de momento a minha microgeração está a ser montada (tópico ao lado deste;) ), e claro que saber com o que se pode contar é bom.
assim, pedia-lhe se aprofundava 2 temas:
quais as não conformidades?
qual o problema da baixada?

obrigado
a questão da baixada é a seguinte:
a lei impõe que a contagem da micro-produção esteja montada no limite da propriedade com o visor virado para o exterior. quem como eu não tinha a contagem de consumo em condições idênticas, a edp aproveita para exigir que também a contagem de consumo seja transferida para o mesmo local, o que em meu entender é lógico. não faria sentido ter uma contagem no interior e outro no exterior da propriedade. e para o efeito, em troca dessa transferência ajuda nos trabalhos a realizar, assumindo no caso das redes aéreas, o estabelecimento de nova baixada para a portinhola consumo/produção com custo zero para produtor que por sua vez terá de efectuar todas as obras necessárias. isto obviamente envolve trabalhos de construção civil e montagem de canalizações adequadas e ... tempo.
no meu caso a tranferência para a nova situação estava prevista para a véspera da inspecção da certiel efectuada pelo isq mas, houve um atraso e só foi efectuda cerca de 40 horas após a vistoria.
como a eventualidade desta situação ocorrer tinha sido prevista, foi feita a pergunta á certiel sobre a sua importância tendo a mesma respondido que não era importante pois o que iam certificar era a parte da micro-produção até à saída do contador de produção.
pessoalmente aceitei esta indicação como boa pois é esse o procedimento normal daquela entidade no caso dos edifícios de habitação, por ex.
as outras não-conformidades foram:
1. falta de sinalização com autocolante apropriado na portinhola e no inversor.(só o inspector os conhecia porque ainda não os há à venda)
2. falta de proteção na parte de ca do inversor (não consta dos desenhos existentes no "renovaveisnahora").
3. falta de proteção mecânica do cabo de proteção entre os painéis e o inversor (entre as telhas e as ripas, embora se trate de sótão não habitado e inacessível sem meios especiais).
4. unidade não dotada com esquema unifilar (existia mas de acordo com a instalação existente).
5. impossibilidade de verificar a chapa de características dos painéis. (estão fixadas na parte inferior e foram montados com porcas anti-roubo).

a situação de momento é esta e sobre a mesma mais tarde pronunciar-me-ei mais em pormenor. dos maiores problemas existentes é que ainda andam todos a aprender, mas, algumas entidades apresentam-se como se já soubessem tudo e possuem elementos que não divulgam. o técnico do isq tinha um manual com desenhos dos autocolantes, por ex., que diz que está disponível no site "renovaveisnahora" o que não é verdade. depois, de cátedra, exibem-no quando indicam as não-conformidades.

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências


Valter Silva
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 404
Registado: segunda ago 11, 2008 12:05 pm
Localização: Curia - Anadia - Bairrada!
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por Valter Silva » domingo mar 22, 2009 7:19 pm

ajosemor Escreveu:

as outras não-conformidades foram:
1. falta de sinalização com autocolante apropriado na portinhola e no inversor.(só o inspector os conhecia porque ainda não os há à venda)
2. falta de proteção na parte de ca do inversor (não consta dos desenhos existentes no "renovaveisnahora").
3. falta de proteção mecânica do cabo de proteção entre os painéis e o inversor (entre as telhas e as ripas, embora se trate de sótão não habitado e inacessível sem meios especiais).
4. unidade não dotada com esquema unifilar (existia mas de acordo com a instalação existente).
5. impossibilidade de verificar a chapa de características dos painéis. (estão fixadas na parte inferior e foram montados com porcas anti-roubo).
obrigado pela resposta....
relativamente aos contadores tb acho que vou ter problemas, pois por impossibilidade (tenho um poste mesmo em frente!!) estão virados de lado, apesar de terem acesso livre.

a questão 1,2, e 3 estavam todas presentes nas instalações que vi feitas pela empresa que me está a fazer o serviço.

o ponto 4 refere-se à instalação de venda ou de consumo??

o ponto 5 tb não devo ter problemas, pois os painéis estão montado junto do telhado, mas facilmente se desmonta um para mostrar ao técnico que vier fazer a certificação.

obrigado mais uma vez pelas respostas.
cumprimentos


valter
Tell me and I forgot, show me and I remember, involve me and I understand. Provérbio chinês
Yaris 1.4 D4D 75HP
Imagem

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » domingo mar 22, 2009 9:11 pm

o ponto 4 diz respeito a toda a parte da micro-produção.
foi-me entregue uma pasta com documentos referentes á instalação de onde constava o referido esquema. só que o esquema não incluía a referida protecção do lado ac.

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências


Vipauer
Membro Dedicado
Membro Dedicado
Mensagens: 26
Registado: sexta jun 13, 2008 1:11 am
Localização: Vale De Cambra
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por Vipauer » sexta mar 27, 2009 11:40 am

boas,

aproveitando este tópico alguém me pode informar onde é que obtenho o número do "certificado de exploração ou autorização provisória de exploração emitido pela certiel"?

passo a explicar, arrendei um apartamento novo (sou o primeiro morador de lá) e queria agora pedir tudo aquilo necessário inclusive a luz à edp.
o problema é que me pedem o número do certificado e nas folhas todas que o meu senhorio tem do apartamento não vejo lá nada...

agradeço imenso a ajuda.


cumprimentos

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » sexta mar 27, 2009 2:05 pm

vipauer disse:
boas,

aproveitando este tópico alguém me pode informar onde é que obtenho o número do "certificado de exploração ou autorização provisória de exploração emitido pela certiel"?

passo a explicar, arrendei um apartamento novo (sou o primeiro morador de lá) e queria agora pedir tudo aquilo necessário inclusive a luz à edp.
o problema é que me pedem o número do certificado e nas folhas todas que o meu senhorio tem do apartamento não vejo lá nada...

agradeço imenso a ajuda.
vejamos a situação tem vários actores, a saber:
- a certiel a quem se se dirigir talvez possam fornecer cópia ou o nº pretendido.
- o técnico que requereu a certificação.
- o construtor do prédio.
- eventualmente outros moradores do prédio.


saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
ajosemor
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 438
Registado: sexta nov 09, 2007 10:29 pm
Localização: Palmela
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por ajosemor » sábado mar 28, 2009 6:41 pm

relativamente ao contrato estabelecido entre o produtor (proprietário) e a empresa fornecedora do equipamento há que não deixar nenhum pormenor sem previsão por escrito de "quem é responsável pelo quê". é elementar mas por vezes facilitamos. no meu caso isso não foi feito, por algum optimismo da minha parte e, acredito que por inexperiência do fornecedor/montador.
as empresas montadoras evitam normalmente os trabalhos de construção civil necessários pois não é essa a sua especialidade e tendo de sub-contratá-los ficam mais caros do que se o proprietário o fizer. foi o que aconteceu no meu caso e fui apoiado inclusive com fornecimento de materiais necessários (essencialmente tubos e cabos) mas, quando da reprovação da instalação por motivos exclusivamente técnicos e talvez por estar escrito que é o proprietário o responsável por o fazer, não comparticiparam com nada o que considero injusto. como disse sempre me apoiaram em tudo o que precisei e por isso não pressionei mas, é bom que a responsabilidade em todas as situações esteja definida no contrato de adjudicação..
como disse é elementar mas às vezes facilitamos...
aliás a esmagadora maioria das empresas que contactei só recebem uma última prestação do pagamento quando da aprovação da instalação.

a re-inspecção foi efectuada no passado dia 26 e, tudo indica, aprovada, em cerca de 1/2 hora. impressionante como há entidades que tornam instalações destinadas a melhorar as condições energéticas do país sem aproveitamento para ninguém e custos para vários intervenientes durante cerca de um mês por ridicularias que se verificam em meia hora.
o fluxograma do processo, e a atitude das entidades, precisam de imediato de uma intervenção tipo "simplex" e a adopção de atitudes pro-activas que, alguns dos seus colaboradores já adoptam.

saudações
Tendes a LIBERDADE de vossas acções nunca a de suas consequências


cblfreitas
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 157
Registado: segunda jun 23, 2008 1:36 pm
Localização: Centro
Estado: Desligado

Re: O meu diário de microprodutor em fotovoltaico

Mensagem por cblfreitas » segunda mar 30, 2009 12:04 pm

bom dia,

tenho lido os vossos comentários, os quais agradeço, pois a vossa experiência é muito importante para quem está a passar pelo mesmo processo.
há, no entanto, uma dúvida que vos coloco: - o "cartão" cuja colocação parece difícil é colocado pela edp ou pelo produtor? este cartão comunica por sms ou por chamada de voz? se são os microprodutores a arcar com esta despesa, têm alguma ideia de qual é a operadora que tem a melhor oferta de tarifário para um cartão que, como este, vai ter uma utilização muito restrita?

cumprimentos e muito boa produção para as vossas instalações.

Responder

Voltar para “Projectos”